Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


O novo ecrã iniciar do Windows 8

por Fábio Domingos, em 11.03.13

Em Maio do ano passado, publiquei neste blog um artigo sobre a nova interface do Windows 8, nomeadamente o novo menu iniciar, nessa altura referi-me a esta como uma "confusão".

 

Já passou algum tempo desde que esta nova versão do sistema operativo foi lançada, quanto a mim, a habituação não foi complicada, comecei a colocar os programas mais utilizados no lado esquerdo do novo menu iniciar, e isso ajudou-me bastante, quando preciso abrir um programa, tudo o que uso habitualmente está à minha disposição, e isto nas anteriores versões implicava um aumento do tamanho do menu.

 

No entanto, para muitas outras pessoas, esta não é uma novidade bem recebida, estas foram duas opiniões veridicas:

 

Isto é uma confusão, abrir aquela barra utilizando os cantos de ecrã não faz sentido nenhum.

Outra pessoa, que aprendeu informática através da metodologia do "agora clica aqui, depois aqui e depois aqui", sendo que depois qualquer novidade ou alteração causa logo um "problema" disse a seguinte frase:

 

Agora nem sequer consigo passar as fotografias da máquina para o computador

Apesar de achar o novo ecrã iniciar uma excelente novidade do Windows 8, compreendo que existam muitas mais pessoas para além das duas que referi anteriormente, pois a alteração foi bastante forçada.

 

A todas as pessoas que não gostam desta "novidade", recomendo que adquiram por apenas 5 dólares, o Start8 da Stardock, para mim a melhor alternativa.

 

Para mais informações: http://www.stardock.com/products/start8/index.asp

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:41

Cinemas Castello Lopes

por Fábio Domingos, em 06.03.13

Por natureza, sou bastante nostálgico, relembro com bastantes saudades alguns episódios que tive durante os anos 90 e inícios dos anos 2000 daí que um dos anúncios que mais me marcou recentemente foi o do Internet Explorer intitulado "Child of the 90's", tive muitas das coisas que lá estavam, desde o Tamagotchi, os "Tazos" que consegui fazer a coleção toda desde os dos Looney Tunes passando pelos dos Power Rangers, Voa Tazos até aos hologramas intitulados 3D Tazos, tive também alguns trolls e felizmente safei-me dos cortes de cabelo ridículos feitos em 4 minutos.

 

Certamente é complicado estabelecer uma relação entre o título deste post e o primeiro parágrafo introdutório que acabei de escrever, no entanto na minha mentalidade existe uma relação estabelecida que nas próximas linhas irei explicar melhor.

 

Em meados dos anos 90, foi aberto um dos primeiros multiplex de cinemas desta zona (provavelmente o segundo, tendo sido o primeiro o do Jumbo de Setúbal), o cinema Feira Nova do Barreiro composto por quatro salas bastante "avançadas" para a altura, uma excelente qualidade de som, imagem do melhor que havia e acesso às últimas estreias contrariando os constantes artefactos que se via nas imagens do antigo cinema "Estrela Moitense", bem como o facto de os filmes só lá apareceram cerca de 3 ou 4 meses após a sua estreia, no entanto era sem dúvida uma excelente sala em termos de comodidade e por ser bem perto de casa. Havia também o cine-estúdio parque no Montijo, no entanto nunca fui a essa sala, no entanto as opiniões das pessoas que lá foram eram bastante positivas, mas recordo-me muito pouco desse cinema; as minhas recordações do centro comercial parque em que essa sala se localizava era de uma loja cujo nome era "Discoteca Orelhão" já encerrada, onde comprei as cassetes para a minha Master System II.

 

O espaço era relativamente pomposo para os padrões da altura, localizava-se na praça dos cafés da Feira Nova, no fim do seu último corredor no lado oposto ao "Burger King", que depois passou a "Queen's Burger", corredor que também tinha uma loja "Macmoda" da infelizmente falida Maconde; os filmes que lá estavam em exibição, eram anunciados por um placard que estava por cima da entrada do Multiplex, do lado direito da entrada estava a bilheteira e a indicação das próximas estreias. O multiplex em si, era então constitúido por uma área ampla estando se bem me recordo no lado esquerdo as salas 1 e 2 e no lado direito a 3 e a 4, no meio deste espaço encontrava-se o balcão do bar, onde comprava as deliciosas pipocas.

 

A primeira vez que lá fui a esse novo espaço, foi para ver o filme "O principe do Egipto" (atualmente Egito), para ver o horário tive de recorrer ao jornal "O Correio da Manhã", qual internet, qual quê, na localidade onde moro, só houve banda larga em 2003, se quisesse internet teria de ser com um modem de 56k cuja velocidade de ligação era superior a 33.6 kb/s em cerca de 18% das ligações estabelecidas, e mesmo assim raramente passava de 1 hora de navegação, pois o tempo que estava nesse mundo era cobrado ao minuto na conta do telefone, tendo os meus pais pago 18 000$00 (sensivelmente 90 euros) logo na primeira fatura que veio quando finalmente tive a internet, o meu sistema operativo era o Windows 95 e o meu ISP o Sapo, o meu computador um Pentium 200 Mhz com tecnologia MMX, 32 MB de memória RAM e um disco Seagate de 2,5 GB, deveria decorrer o ano de 1998. 

 

Continuando a história, quando cheguei ao hipermercado "Feira Nova do Barreiro" e comprei o bilhete, cujas cores era azul e na área das letras onde estava a sessão, a sala e o nome do filme era branca, este ostentava na parte superior a indicação  "Cinemas Castello Lopes", o preço já não me recordo, a sala era a 4, a mais pequena por sinal, mas nem por isso inferior às outras, fiquei bastante surpreendido pela positiva pela grande qualidade tanto da sala, como dao somimagem, maravilhoso, fiquei com uma excelente ideia dessa empresa Cinemas Castello Lopes, que belas salas que ela explorava!

 

Muitos filmes passaram desde o Principe do Egipto, até ao último filme que lá vi nesse multiplex, "O Último Samurai", apesar de na altura em que foi exibido, já existir aqui perto o multiplex do Fórum Montijo, mais moderno e superior, com a assinatura da "Warner Lusomundo" (hoje Zon Lusomundo), continuei a ter um valor sentimental pelo entretanto velhinho cinema do Feira Nova, em que na prática a sua única vantagem era o facto de não ser necessário preencher cupões para usufruir dos descontos do Cartão Jovem como era no Cinema do Fórum Montijo.

 

A partir desse filme, passei a ir ao cinema do Fórum Montijo, tendo sido lá onde vi filmes como "Matrix Revolutions", "À procura de Nemo", entre muitos outros.

 

Escrevo isto, porque no meio de tantas más notícias que ouço e leio sobre a Castello Lopes, com a última sobre o fecho das salas que restavam, veio-me esta nostalgia do tempo do cinema do Feira Nova do Barreiro, altura em que esta empresa estava no seu auge em termos de qualidade e provavelmente também em termos financeiros, o sentimento nostálgico foi tanto que fui até lá ao Feira Nova do Barreiro, agora Pingo Doce do Lavradio local onde já não ia muito provavelmente desde o dia em que fui ver o "Último Samurai" salvo erro em 2003, dado o aparecimento do Modelo da Moita (agora Continente Modelo) e do Carrefour do Fórum Montijo (hoje Continente), queria dar uma olhadela ao que foi o grande multiplex, agora adormecido (encerrou em 2007),  sem ninguém, provavelmente com o placard que anunciava os filmes em exibição vazio ou com os cartazes a cair de velhos dada a sua idade.

 

Entrei pela porta da direita do agora Pingo Doce, reparei no Moviflor que ainda continua no mesmo sitio, na Companhia das Sandes agora fechada, enquanto passo pelo corredor de lojas, agora muitas fechadas, outras têm novos donos, no entanto quando chego ao fim do corredor, reparo que agora em vez de terminar na praça dos cafés, acaba agora com uma parede branca com uma porta que possui uma pequena tabuleta com uma indicação "Reservado a Funcionários" ainda antes de chegar à praça dos cafés onde estava o cinema, nesse momento senti um choque que me percorreu todo o corpo, lá se foram as minhas expetativas, o último olhar sobre os cinemas, como será que ele está agora? Será que ainda lá está? Será que é agora um espaço de reuniões ou algo do género?  Reparei depois que esta área restrita estende-se a todo o último corredor, desde o antigo restaurante Queen's Burger, passando pelo Macmoda até à praça dos cafés e consequente dos cinemas, fiquei mesmo triste.

 

Ainda estive na antiga praceta da entrada do lado esquerdo, agora mais pequena cortada pela parede parede branca, lembro-me desse espaço quando tinha as arcadas, relembrando-me com saudade do local onde pela primeira vez joguei "Virtua Tennis". No entanto não vi o cinema.

 

Bom, provavelmente estou maluco por ter escrito de uma forma tão sentimental sobre este espaço do passado (face a certas atitudes que tenho tido ultimamente, por vezes penso para mim mesmo que as dúvidas sobre isso já foram dissipadas), certamente irrelevante para a maioria dos comuns mortais. Espaço agora ultrapassado por outros complexos muito melhores, no entanto sinto-me ainda a recuperar do choque e este texto que aqui deixo é o meu desabafo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 02:28

Anuncio Internet Explorer

por Fábio Domingos, em 12.02.13

Para mim, um dos melhores anuncios da Microsoft.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:21

Citações

por Fábio Domingos, em 20.01.13

Uma das minhas citações preferidas é a proferida por Carl Sagan referente ao "Pale Blue Dot", o ponto pálido azul na nossa lingua. 

Com ela podemos perceber melhor a nossa significância dentro deste grande universo.

Vejam abaixo aquela que para mim é a melhor representação destas palavras:

 

 

“Consider again at that dot. That's here. That's home. That's us. On it everyone you love, everyone you know, everyone you ever heard of, every human being who ever was, lived out their lives. The aggregate of our joy and suffering, thousands of confident religions, ideologies, and economic doctrines, every hunter and forager, every hero and coward, every creator and destroyer of civilization, every king and peasant, every young couple in love, every mother and father, hopeful child, inventor and explorer, every teacher of morals, every corrupt politician, every "superstar," every "supreme leader," every saint and sinner in the history of our species lived there--on a mote of dust suspended in a sunbeam.”

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:38

Novo Design

por Fábio Domingos, em 20.01.13

Decidi após estes anos todos dar uma lufada de ar fresco no blog alterando o template para este que está muito mais simples que o anterior.

Espero que gostem.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:28

Sugestões Literárias #1

por Fábio Domingos, em 20.01.13

De todos os livros que já li, existem alguns que posso destacar porque de uma maneira ou de outra me marcaram de alguma forma e que por vezes fazem-me ter vontade de os ler várias vezes, seja na sua totalidade ou apenas em parte.

Numa periodicidade não definida,  irei aproveitar este blog para fazer algumas recomendações literárias, hoje apresento a primeira:

 

Título: Um mundo infestado de demónios
Autor: Carl Sagan
Editora: Gradiva
Li este livro decorria o verão de 2008, a minha edição ainda é a da grande coleção "Ciência Aberta" e foi um livro que me cativou bastante não só pelo conteúdo, mas também pela escrita cativante e que torna compreensíveis os termos mais "avançados".
Por forma a compreender melhor a realidade, é necessário conjugar para além do "deslumbramento", uma caraterística bastante importante que é o ceticismo, só através desta conseguimos compreender e desmontar os vários mitos que por aí andam, e possibilitar a montagem por nós mesmos de um "filtro pessoal" que nos permite bloquear certos argumentos que não passam de falácias. E esta é uma excelente obra sobre estas caraterísticas que conduzem à melhor ferramenta existente de compreensão do mundo que nos rodeia, o pensamento científico.
Compreendo que o livro é um pouco extenso,e por isso irá muito provavelmente ser uma desculpa para que várias pessoas o ignorem, no entanto neste caso sugiro que leiam pelo menos o capítulo 12 intitulado de "A Arte de Detetar Disparates" que contém várias ferramentas bastante úteis para lidarmos com muitas situações do nosso dia-a-dia principalmente quando lidamos com certas pessoas que se acham donas da verdade.

 

Depois de lerem esse capítulo, espero que leiam o resto...

 

A imagem que ilustra este artigo foi retirada do site da editora gradiva.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 02:39

Acerca dos últimos dias...

por Fábio Domingos, em 12.06.12

Ai que prazer
não cumprir um dever.
Ter um livro para ler
e não o fazer!
Ler é maçada,
estudar é nada.
O sol doira sem literatura.
O rio corre bem ou mal,
sem edição original.
E a brisa, essa, de tão naturalmente matinal
como tem tempo, não tem pressa...

 

Livros são papéis pintados com tinta.

Estudar é uma coisa em que está indistinta
A distinção entre nada e coisa nenhuma.

 

Quanto melhor é quando há bruma.
Esperar por D. Sebastião,
Quer venha ou não!

 

Grande é a poesia, a bondade e as danças...
Mas o melhor do mundo são as crianças,
Flores, música, o luar, e o sol que peca
Só quando, em vez de criar, seca.

 

E mais do que isto
É Jesus Cristo,
Que não sabia nada de finanças,
Nem consta que tivesse biblioteca...

      

Fernando Pessoa

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:04

Windows 8

por Fábio Domingos, em 23.05.12

Porquê que a Microsoft, não pára um pouco para pensar, e não faz algo deste género:

http://www.theverge.com/2012/3/30/2883925/an-alternate-windows-8-user-experience ?

 

A interface do Consumer Preview é das maiores confusões que já vi, espero vir a habituar-me com o tempo e poder retirar o que disse.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:00

Ambientes: Praia do Rosário

por Fábio Domingos, em 11.02.12

O que se pode ouvir num final de tarde na Praia do Rosário (Moita, Setúbal)

Ambientes - Praia do Rosário by Fábio Domingos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:20

Time

por Fábio Domingos, em 04.12.11

Já há muitos anos que gosto de Pink Floyd, o meu pai tinha vários LP's desta banda, e durante a minha infância divertia-me imenso a ouvi-los, apesar de nunca ter ligado às letras das suas grandes músicas.

Só recentemente, comecei a ter em atenção esse pormenor, e quando me deparo com a letra da música "time",  fiquei sem palavras, só posso dizer que não posso concordar mais com a mesma, é linda e como se aplica a tantas pessoas.

 

Deixo-vos então o vídeo e as lyrics (podem-nas ver na descrição que a pessoa que colocou o vídeo pôs, se clicarem no botão youtube).

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:09


Mais sobre mim


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2008
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2007
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

subscrever feeds



Contador